Testando: patins Tattoo Derby!

Naclara/ outubro 26, 2016/ Testando/ 0 comments

 

Durante o 5º Brasileirão de Roller Derby, nos dias 15 e 16 de outubro, a Rye (marca nacional de patins) lançou o seu patins específico para roller derby, o Tattoo Derby. Abaixo você pode ver alguns dos modelos existentes.

Modelos do patins Tattoo Derby, pretos ou brancos, com detalhes coloridos.

Modelos do patins Tattoo Derby, pretos ou brancos, com detalhes coloridos.

O Pense Derby esteve no stand da Rye e experimentou o modelo disponível. Aqui vão nossas percepções:

 

1) Bota

20161016_191332

Achei bastante confortável e macia. Diferente dos patins de artística da Rye, que são bem duros e cano alto, esse patins tem um cano um pouquiiinho mais alto que o normal de derby, mas sem perder a mobilidade do tornozelo. Talvez seja uma forma de agradar um pouco às duas vertentes de jogadoras(es): as que querem o tornozelo livre para peripécias e as que preferem um cano um pouquinho elevado pra dar sensação de segurança pro tornozelo.

Eu até hoje só usei quads de cano baixo e achei esse bem confortável, sem restringir o movimento. Na imagem acima vocês podem ver que a área que encobre o tornozelo é feita de um material diferente do resto da bota, mais maleável.

Algumas pessoas compararam o interior da bota do Tattoo ao excesso de acolchoamento que um R3 tem, que deixa o pé muito “amortecido” dentro da bota, tirando um pouco da sensibilidade dos pés. Achei ele realmente mais “fofo” que o meu modelo atual da riedell (que é totalmente em couro) e não tem acolchoamento nenhum, mas não tão acolchoado quanto o R3. Quem usa Bont ou Chaya, que são de carbono e se moldam aos pés certamente irá sentir uma diferença enorme e estranhar essa maciez.

Ah! Uma característica importante da bota pra galera vegan: o couro do Tattoo Derby é sintético!

 

2) Plate

Os plates variam. Os patins iniciantes têm a opção dos plates Amazon e Adventure. O Amazon é de fibra reforçada e o Adventure já é de alumínio.

Plate Amazon

Plate Amazon

Plate Adventure

Plate Adventure

Os patins mais avançados vêm com os plates Classic ou Evolution, ambos de alumínio, assim como o truck.

Plate Classic

Plate Classic

O modelo disponível para teste era um dos mais avançados. O peso dos plates é realmente muito bom, deixando o patins muito leve.

Plate Evolution

Plate Evolution

Caso você vá comprar esse patins, fique atento ao diâmetro do encaixe do rolamento: em geral os patins da Rye são feitos para rolamentos de 7mm de diâmetro no encaixe do truck, ou seja, se você for tentar colocar seu rolamento de 8mm nele, vai ficar folgado e não vai prender a roda. Conversando com o fabricante, descobri que existe a possibilidade de pedir com trucks para os rolamentos de 8mm, mas é preciso consultar antes.

 

3) Freios

Foi uma coisa que me surpreendeu positivamente. Os dois freios que testei (cada pé do modelo de teste tinha um) foram muito bons.

Um é de tamanho similar ao do Gumball, mas a borracha do freio da Rye parece desgastar menos rapidamente. Esse freio desliza na medida certa, podendo ser usado para deslizar levemente em algumas situações.

 

20161016_191317

O outro freio, que eu estava particularmente curiosa para testar é esse bem grande, no estilo do freio de hóquei tradicional. De acordo com o fabricante, a borracha é a mesma do freio anterior, mas com outra cor apenas.

20161016_191303

Achei esse freio maravilhosamente lindo para andar no toe, dando muita segurança e estabilidade. Para quem tem medo de andar no toe, ele é perfeito, pois dá mais área e estabilidade. Além disso, a arrancada com ele se torna muito mais forte e precisa. A única coisa que me deixou na dúvida sobre seu uso é para os momentos em que você precisa de mais deslize, pois ele agarra bem. De acordo com a Chiara, das Wheels of Fire, que já utiliza esses freios, eles aderem muito bem, mas sem atrapalhar o movimento.

 

Uma coisa para se ter atenção: a rosca desses freios costuma ser mais longa que os freios que estamos habituadas, então para que ele suba até a altura correta, provavelmente será necessário levar a um serralheiro para reduzir um pouco o comprimento da rosca. Outro detalhe importante é que o rosqueado também costuma ser mais largo que o dos nossos plates e pode ser um pouco mais difícil para girar e colocar o freio.

 

4) Rodas

Possuem 3 modelos profissionais: a Spider (60mm de altura, durezas 95 e 97A), a Spirit (61mm de altura, durezas de 90 a 99A) e a Viper (57mm de altura, dureza de 95A).

Não pude experimentar no chão da quadra que estávamos usando para jogar lá (mas nem sei se adiantaria, pois a quadra estava escorregando além do comum), mas a sensação que tive é que a roda era bem dura (foi a Spirit 90A) e leve. A Chiara também usou essas rodas para jogar e gostou muito da resposta.

5) Preço

Obviamente por ser um produto nacional o valor dele torna-se muito mais acessível se comparado a um patins que você precise importar com taxas (e possivelmente alfândega). Em relação a outras marcas nacionais é um pouco mais caro, mas pela qualidade vale a pena.

O mais iniciante sai a 721 reais e o mais profissional sai a 1506 reais. Sendo uma loja nacional, você pode comprar diretamente pelo site por boleto, cartão de crédito ou débito.

Avaliação: 4/5

Do que pude perceber do patins em geral, posso dizer que daria uma chance a ele sim, pois me agradou em muitos aspectos. Ainda é preciso muito teste e muito uso para dar um 5/5, mas no primeiro contato está aprovado!

Além do mais, é importante incentivar boas iniciativas nacionais quando elas estão abrindo espaço ao nosso esporte, que já é tão rejeitado.

Se você também já experimentou o Tattoo Derby, deixe seu comentário!

 

 

Share

About Naclara

Ana Clara Miranda por nascimento. Naclara ou Portu´Gal por batismo de track. Atleta da seleção brasileira de Roller Derby. Treinadora e jogadora da liga Sugar Loathe Derby Girls, do Rio de Janeiro.

Leave a Comment